AirPods!

Os AirPods são um dos mais bem-sucedidos gadgets da Apple nos últimos anos e atualmente esta em falta nos Estados Unidos. Com a boa aceitação, a Apple já vem estudando em uma versão aprimorada dos fones de ouvido e agora o analista especializado em Apple na KGI Securities, Ming-Chi Kuo, traz algumas novidades, incluindo a possibilidade deles virem juntos com o sucessor do iPhone X no final do ano que vem.

Para começar, a próxima geração de AirPods devem vir com um componente de quartzo. Ainda não dá para dizer ao certo como isso deve otimizar os dispositivos, mas pode ser algo para a otimização da acústica ou distribuição de energia. Aliás, a companhia havia adiantado que lançaria um dock para carga indutiva e essa mudança pode ser algo relacionado. Não se sabe se será algo individual ou o já anunciado acessório para carga conjunta e simultânea de iPhone X ou iPhone 8, Apple Watch e AirPods.

Sobre a atual falta de produtos nas prateleiras, ele afirma que a falta de baterias maleáveis são o principal gargalo na cadeia de fornecimento. Com a demanda deste ano, a Gigante de Cupertino virá melhor preparada para o segundo semestre de 2018, quando espera comercializar mais de 26 milhões de unidades do AirPods 2. Para aumentar essa distribuição, eles viriam como mimos de luxo da atualização do iPhone X.

Duas câmeras traseira? Para que servem?

Para você que possui iPhone 7 Plus, 8 Plus e iPhone X, esse artigo é importante.

Já sabem o por que a traseira dos aparelhos Plus(iPhone 7 em diante), contém duas câmeras?

Nós explicamos!

As duas câmeras têm 12MP cada uma, mas são usadas em papéis diferentes. Uma delas é especializada em fotos para objetos distantes; a outra é voltada para objetos próximos.

A câmera da esquerda usa uma lente de ângulo aberto, enquanto a da direita usa uma lente teleobjetiva. Enquanto a primeira consegue capturar uma área maior em frente ao celular em cada fotografia, a segunda captura uma área menor, mas com a mesma qualidade e resolução.

Isso permite que o aparelho tire fotos com zoom óptico de até 2x, sem perda de qualidade ou resolução. O que smartphones geralmente chamam de zoom é um aumento da imagem na tela sem aumentar a resolução. Por isso, quando você usa o zoom digital num celular ou câmera, a foto é “esticada” e naturalmente perde a qualidade.

O zoom óptico, portanto, é o zoom “de verdade”, o que realmente aproxima a imagem de um ponto específico mantendo a mesma qualidade. É isso o que os iPhone’s Plus conseguem realizar com o sistema de duas câmeras. Além do zoom óptico, o software do aparelho permite dar zoom de até 10 vezes, embora com uma ligeira perda de qualidade considerando que, a partir do 2x, o zoom é digital.

Mas não é só isso que a câmera dupla faz. Um outro importante recurso é o de maior profundidade de campo. Usando os dois sensores ao mesmo tempo, o smartphone consegue criar aquele efeito em que o fundo da imagem fica borrado e os objetos ou pessoas mais próximas ficam em destaque. Semelhante, ao Huawei P9, porém a ideia do aparelho, foi usar os dois sensores para tratar as cores da imagem de maneiras diferentes. Um deles registra uma foto monocromática e o outro registra a mesma imagem colorida e três vezes mais brilhante.

Mas nada se compara a qualidade e inteligência da Apple.

Achando seu iPhone com ajuda do Apple Watch!

achando

Não sabe onde deixou seu iPhone? Com ajuda do Apple Watch, será mais fácil encontra-lo.
A Apple colocou uma função no Apple Watch para ajudar aqueles que precisam de ajuda para encontrar o iPhone perdido, seja na sala, na cozinha, no quarto, ou qualquer lugar PERTO de você.
Para fazer isso basta arrastar o dedo para abrir os Glances, em seguida ir para a primeira tela à esquerda. O botão na parte de baixo da tela é o que estamos procurando. Apertando o botão, seu iPhone emitirá um toque para te ajudar a encontrá-lo.

iOS 12

Em sua conferência anual de desenvolvedores (WWDC), a Apple apresentou a mais recente versão do seu sistema operacional para iPhones e iPads: o iOS 12.

A boa notícia que é a nova versão do iOS, cheia de melhorias e recursos novos, vai rodar em todos os iPhones e iPads que suportam o iOS 11. Como um dos principais objetivos da atualização é melhorar a performance do iPhone, quem tem celulares antigos não precisa se preocupar em deixá-lo mais lento com o iOS 12. Com devida insistência dos usuários da apple, a empresa resolveu melhorar o gerenciamento de notificações, o iOS 12, vai agrupar as notificações de um mesmo app em grupos. Assim, é possível se livrar de todas de uma só vez. Além disso, também é um jeito de aumentar sua privacidade. O motivo? Nem todas as mensagens recebidas pelo WhatsApp serão mostradas, por exemplo. Os divertidos Animojis, são a diversão para quem possui o iPhone X, mas com a novo iOS 12, surgirão os Memojis, que da liberdade para o usuário caracterizá-los do seu jeito.

Após ser integrado ao iMessage, que é o aplicativo de mensagens da Apple, o Facetime poderá fazer ligações de vídeos em grupo. Será possível que até 32 pessoas participam de uma vídeo-chamada ao mesmo tempo. Será lançado um novo aplicativo, chamado de “Measure”, é um dos bons exemplos de realidade aumentada prometidos pela Apple. Como uma fita métrica, o app poderá ser usado para medir objetos com a câmera quando o usuário apontá-la do iPhone. Tendo como plataforma tecnológica o ARKit 2, o aplicativo consegue calcular altura, largura e profundidade do objeto.

Outra novidade do iOS 12 será o “Digital Health”. Ele será responsável por mostrar ao usuário quanto tempo ele gasta com cada aplicativo do celular. Também pensando em ajudar a combater o vício nos aparelhos, o “Screen Time” definirá limites de uso para os apps. Dessa forma, o próprio sistema enviará notificações para avisar o usuário de que ele já ultrapassou o tempo limite estipulado para o Facebook, por exemplo.

Novo Apple Watch Series 3

A Apple anunciou em seu site que vai começar a vender o Apple Watch Series 3 com conectividade 4G ainda neste mês de junho no Brasil. O dispositivo chegará ao mercado nacional em 11 opções básicas e várias especiais de design, sendo que as mais baratas — com construção em alumínio — sairão por R$ 3.199.

Isso quer dizer que você pagará R$ 700 a mais para ter um smartwatch com conectividade 4G na comparação com os aparelhos equivalentes também da terceira geração do dispositivo. O Apple Watch conectado mais caro disponível no site da Maçã é aquele com carcaça construída em cerâmica, da versão “Edition”. Pulseiras distintas também podem alterar o preço do produto, mas o valor básico é de R$ 9.999 para esses modelos.

 

Segundo a Apple, a pré-venda dos aparelhos começa nesta sexta-feira, dia 08. Fora esses produtos, a empresa também vai lançar no mesmo dia as versões Apple Watch Hermès (a partir de R$ 9,2 mil todos com 4G) e Nike+ (a partir de R$ 2,6 mil sem 4G e R$ 3,2 mil com 4G). Infelizmente, apenas uma operadora nacional poderá operar esses relógios por enquanto, a Claro. Segundo a fabricante, é necessário usar a mesma operadora no iPhone e no Apple Watch para a conectividade móvel do relógio funcionar.

Usar o celular com tela quebrada?

Você certamente já se deparou com alguém mexendo no celular com a tela rachada. E de fato, fora a marca no vidro a tela continuou respondendo novamente aos comandos. Se é assim, “para que gastar dinheiro no conserto?”, deve pensar quem faz isso.

A resposta é: porque você pode estar comprometendo a “saúde” do seu celular sem saber. Pelo menos é o que defendem os técnicos das assistências de smartphones.

O display de LCD do celular vem colado a uma tela de vidro temperado. Muitas vezes o vidro da tela trinca, mas o display interno permanece intacto.

Mas o fato de continuar funcionando não quer dizer que o usuário não esteja em um comportamento de risco se seguir usando o celular do jeito que está. Dependendo de cada caso, a rachadura deixará o celular mais exposto à ação do tempo. poderá fragilizar mais a tela — e o resto do telefone — e até trazer risco à saúde. Além de prejudicar a estética do aparelho, o trincado pode enraizar e trincar mais. A falha também solta farelos de vidro, que podem machucar não só as mãos do usuário, fazendo micro cortes, como também o ouvido.

É claro que arranhões muito discretos e superficiais não são caso para conserto imediato, mas algo além disso já requer atenção. “Não há como definir padrões ‘aceitáveis’ para a utilização de um celular com tela quebrada pois cada caso é único. Se for um trinco não muito profundo, dá para usar sim, mas fica mais propício a quebrar e falhar com mais rapidez.

A partir do momento que trinca, aconselho que troque. O ideal é que a tela esteja sempre inteira. Pode não apresentar nenhum problema a princípio, mas com o tempo pode danificar o ‘touch’ no canto onde está a rachadura, mexer na visualização das letras.

Celulares com o vidro resistente Gorilla Glass, que na teoria deveriam ter uma proteção extra, podem até mesmo confundir um usuário se ocorrer um acidente e causar uma falha interna. “Essa é uma película de espessura mais grossa, que dizem que não quebra. Mas mesmo assim, o display interno pode quebrar em uma queda, e o vidro estando intacto não ajuda nesse caso.

Como aumentar a vida útil da sua bateria do iPhone

Em seus smartphones mais antigos, você já deve ter percebido que depois de um tempo a bateria começa a demorar mais para ser carregada e sua carga se esvazia de forma mais rápida. Todas as baterias têm uma vida útil meio longa, podendo ser usada normalmente até você trocar de dispositivo (seja um celular, tablet ou notebook), mas alguns hábitos do usuário podem afetar isso diretamente.

Para não sofrer com este problema, basta conferir algumas de nossas dicas para aumentar a vida útil da bateria do iPhone. Confira:

1. Não deixe o iPhone esquentar muito

Os aparelhos da Apple geralmente são bem resistentes, mas não aconselhamos que você abuse disso com seu iPhone.

Isso vale tanto para ambientes onde a temperatura está alta como para situações nas quais o próprio iPhone esquenta com seu uso contínuo ou por causa de aplicativos mais pesados. Em casos como esse, procure deixar o aparelho em um lugar ventilado e não o use até que ele chegue a uma temperatura mais fresca.

2. Tire a “capinha” do smartphone antes de carregar

Não carregar o iPhone enquanto ele estiver com uma capa de proteção. Isso pode nos levar ao nosso primeiro problema e deixar o dispositivo muito mais quente do que ele deveria.

3. Evite cargas rápidas

Um hábito horrível que temos com nossos smartphones são as cargas rápidas que fazemos quando estamos sem paciência de esperar que o aparelho carregue totalmente. Esse ato prejudica bastante a vida útil da bateria do aparelho.

Além da bateria não durar nada e isso fazer com que você precise carregar o smartphone mais de uma vez sem necessidade, você acaba impedindo que o ciclo de carregamento se complete.

4. Mantenha o iOS atualizado

Uma dica simples e muito funcional é deixar seu iOS sempre atualizado, já que a própria Apple oferece novas maneiras de melhorar a autonomia da bateria de seus dispositivos através de pequenas e grandes atualizações do sistema.

Um bom exemplo bem recente é o iOS 9, que veio com várias soluções para sua carga de bateria dure muito mais, além de oferece um novo modo de economia de bateria.

5. Não deixe-o descarregar por completo sempre

Muita gente acredita que é sempre necessário deixar o smartphone descarregar por completo para então carregá-lo, só que isso traz mais pontos negativos do que positivos. A recomendação oficial da Apple é que você carregue seu dispositivo quando a bateria estiver fraca, entre 15% e 10%, por exemplo.

Outra dica que a própria empresa dá é que você deixe a bateria esgotar por completo apenas algumas vezes por ano, para então carregá-la por completo.

6. Use carregadores originais

Nós sabemos que os carregadores originais da Apple podem ser bem caros, especialmente aqui no Brasil, mas é extremamente importante que você os use para carregar seu iPhone. Diferente do Android, que pode ser carregado com qualquer carregador USB, os produtos da Apple são um pouco mais específicos e é difícil encontrar uma imitação que realmente ofereça qualidade.

Por isso, sempre mantenha seu carregador em boas condições para evitar que seja necessário adquirir outro. Isso pode ser meio difícil caso você o leve com você ao trabalho ou escola, mas apenas assim é possível garantir que seu iPhone seja carregado corretamente.

7. Não abuse tanto em Apps pesados

Da mesma forma que é importante evitar carregamentos rápidos, também é necessário fazer o possível para a bateria do iPhone não acabe tão rápido constantemente. Esse uso pesado pode realmente danificar sua bateria e diminuir seu uso útil ao longo do tempo. Isso não quer dizer que você não pode usar apps ou jogos mais pesados, só é preciso maneirar na forma que você faz isso no dia a dia.

Como desabilitar o status de atividade do Instagram

O Instagram mostra se você está online no Direct — o inbox do aplicativo — e a hora em que você acessou as mensagens pela última vez, em um recurso bem parecido com o do WhatsApp. A função se chama Status da Atividade e é exibida ao acessar a lista de mensagens diretas, mostrando se os contatos estão ativos (online) naquele exato momento ou quando foi o último acesso de cada um, com dados em minutos ou horas. A informação é mostrada logo abaixo do nome de usuário. Também é possível ver quantas pessoas de cada grupo estiveram online durante o dia.

Assim como acontece no WhatsApp, muitas pessoas podem ter interesse em esconder o horário em que esteve online no Instagram. Se você não quer que seus contatos vejam essa informação, aprenda neste tutorial como desabilitar essa função. Vale lembrar que, ao esconder o seu horário, você também deixará de ver o Status dos seus amigos.

Veja como desativar o Status da Atividade:

  1. Acesse seu perfil e vá para as Opções de configuração, clicando no ícone de engrenagem;
  2. Deslize a tela para baixo e desabilite a função “Mostrar status da atividade”;

Agora ninguém saberá a hora em que você esteve online no Instagram Direct.

Novo iMac Pro

O novo iMac Pro, computador all-in-one de ponta da Apple, começou a ser vendido no Brasil e o preço beira os seis dígitos. O computador chega a partir de R$ 38 mil e a sua versão mais cara sai pela bagatela de R$ 98 mil.

O aparelho começou a ser vendido no site brasileiro da Apple no dia 06 de março de 2018.

O modelo mais básico, que custa R$ 38 mil, vem com processador Intel Xeon W 8 core, 3,2 GHz (Turbo Boost até 4,2 GHz), 32 GB de memória ECC DDR4 de 2666 MHz, SSD de 1 TB, placa de vídeo Radeon Pro Vega 56 com 8 GB de memória HBM2, Magic Mouse 2 e Magic Keyboard com teclado numérico, ambos na cor cinza-espacial.

Já a versão top de linha, que sai por quase R$ 100 mil, é bem mais desenvolvida do que a padrão, porém as melhorias custam caro. Pagando este preço, você leva um processador Intel Xeon W 18 core, 2,3 GHz, com turbo boost até 4,3 GHz (R$ 16,8 mil), 128 GB de memória ECC DDR4 de 2666 MHz (R$ 16,8 mil), SSD de 4 TB (R$ 19,6 mil), placa de vídeo Radeon Vega 64 com 16 GB de memória HB2 (R$ 4,2 mil), Magic Mouse 2 + Magic Trackpad 2 (R$ 1 mil), Kit de montagem VESA (R$ 600) e os softwares Final Cut Pro X (R$ 680) e Logic Pro X (R$ 450).

 

O Precioso iPhone X e seus recursos

Face ID

O iPhone X abandonou o leitor de digitais Touch ID em favor do Face ID, uma nova tecnologia que identifica o rosto do usuário para desbloquear o aparelho. Em vez de usar os dedos no botão de início, o usuário posiciona o celular à frente dos olhos. Segundo a Apple, o novo método de bloqueio é até 20 vezes mais seguro que o leitor de impressões digitais do iPhone 8 e modelos anteriores.

A proteção extra vem do mecanismo de rastreio, que consiste em uma câmera especial e um projetor que identifica 30 mil pontos diferentes da face para criar um modelo 3D.

Tela Super Retina HD

A tela Super Retina HD, que ocupa quase toda a parte frontal do iPhone X, é o carro-chefe do aparelho. O painel é o mais avançado presente em um iPhone, feito com tecnologia OLED, alta gama de cores e um formato mais alongado. O único local sem display é a parte de cima do display, que esconde alto-falante, câmera e sensores.

Corpo compacto

Por conta do aproveitamento maior da parte frontal, o iPhone X tem uma tela grande de 5,8 polegadas, mas seu corpo não aumenta tanto assim. Embora sua diagonal seja maior do que no iPhone 8 Plus, que tem painel de 5,5 polegadas, as dimensões são ligeiramente maiores do que a do modelo menor, o iPhone 8.

3D Touch

O 3D Touch é uma tecnologia que estreou no iPhone 6S e se mantém no iPhone X para facilitar a interação nos menus do iOS 11. A cada versão do sistema, o celular oferece novos. comandos para acessar ao pressionar a tela, como os ajustes de volume. A mesma tecnologia permite entregar uma resposta aprimorada a qualquer interação do usuário, resultando em uma experiência de uso potencialmente superior.

Som estéreo

A partir do iPhone 7, a Apple passou a oferecer dois alto-falantes no aparelho, algo que se mantém no iPhone X. O celular conta com uma saída de áudio na parte inferior e uma frontal, no visor localizado na parte superior da tela. O resultado é uma experiência melhorada ao ouvir música e assistir a vídeos, já que o som da reprodução tende a ficar mais claro e livre de bloqueios acidentais com as mãos.

Animoji

Além de escanear o rosto do usuário para desbloquear, o Face ID do iPhone X permite criar modelos 3D do usuário para construir os Animoji, espécie de emojis especiais. É possível usar suas próprias expressões faciais para animar figuras que se movem e podem ser compartilhadas em mensagens do iMessage. No Note 8, não há nada parecido, já que seu scanner facial é limitado.

Mais cores

O iPhone X foi lançado nos EUA nas cores cinza espacial e prateado. Se a tradição de lançamentos da Apple no Brasil se confirmar, os celulares deverão chegar ao mercado nacional em ambas as opções, superando o concorrente, que só está à venda no país na cor preta.